Sindicato dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado e dos Municípios da Bahia

OS HOMENS-BOMBA

28 jan 2010

Janio Lopo/28/01/2010

Conforme prometeram, integrantes de setores do PT descontentes com o amplo espaço dado ao PP no Governo do Estado estão em plena contra-ofensiva. Criaram o Movimento Transparência e Verdade e em ações de guerrilha estão tentando abertamente minar a relação entre Wagner e os comandados de João Leão. Também como prometido, o primeiro alvo dessas investidas tem sido o conselheiro do Tribunal de Contas, Otto Alencar. Em nossa coluna temos denunciado o escândalo que envolve a Ebal, um buraco nos cofres públicos que pode chegar a R$ 1 bilhão, apurado por sindicância da Auditoria Geral do Estado, cujo relatório os “homens-bomba” do PT distribuíram.
Apesar das nossas insistentes cobranças até agora, Governo do Estado, Ministério Pública, Judiciário, Secretaria de Segurança Pública e os atuais e ex-diretores da Ebal fazem ouvido de mercado. Não tão nem aí. Como se sabe, o gestor da Ebal investigado é Omar Antônio de Brito. Não sem propósito que, durante a sua administração, circulava “à boca miúda” nos corredores da empresa, um provérbio muito conhecido: “o rio só corre para Omar”.
Mas os petistas descontentes avisam que a Ebal não é o único flanco a ser atacado e dizem que não estão sozinhos nessa luta. Têm aliados. Coincidentemente ou não, o deputado federal Zezéu Ribeiro(PT) levantou a sua voz em alto e claro som, mas contra César Borges e o PR. Além dele, outros figurões do partido se preparam para lançar o nome do ex-governador Waldir Pires ao Senado e, com isso, “melar” a chapa pintada de cores carlistas com que Wagner tanto sonha.
Outro reforço aos neoguerrilheiros estrela vermelha foi surpreendente: a deputada federal Lídice da Mata. Como quem não quer nada, mas, como todos sabem, querendo uma das vagas para o Senado, ela em entrevista a um jornal local, na última segunda-feira, entregou de bandeja a cabeça de Otto, com um relato que configura, no mínimo, uso do seu cargo de conselheiro do Tribunal de Contas em benefício de objetivos políticos eleitorais. Diz textualmente a deputada na citada entrevista:
“Otto está participando desse projeto não é agora (para formar a chapa). Há mais de um ano que aqueles (prefeitos e deputados) que são ligados a ele, e o próprio Otto, vêm atuando no sentido de fortalecer nosso projeto político, que é o projeto do governador Jaques Wagner”.Os parênteses não são nossos, são do repórter do jornal que a entrevistou.
Como se fosse uma ação orquestrada, no mesmo dia em que a entrevista foi publicada, blogs e jornais receberam emails do Movimento Transparência e Verdade, destacando esse trecho da entrevista da deputada sob o título: “Lídice escorrega em entrevista e incrimina Otto”.
Escorrega? Ex-líder estudantil,  ex-vereadora, ex-prefeita de Salvador,ex-deputada estadual por dois períodos, candidata ao governo do Estado e pela segunda vez exercendo um mandato na Câmara Federal, Lídice não parece ser uma iniciante ingênua no mundo político. Pelo contrário: sabe o que quer e, como já disse, todos nós sabemos o que ela quer.  Então, soma-se o que ela quer, com o que os homens-bomba do PT não querem e temos o seguinte  resultado: rifa-se Otto e César e, de preferência, os dois, da chapa petista. É uma aliança nas sombras, mas que promete fazer muito barulho.